segunda-feira, 19 de outubro de 2009

O VIANDANTE

Sonhos do viandante
De uma ventura errante
Perdeu o direito de sonhar
Chegou a hora de acordar

Pobre pebleu, e agora!
Terminou a tua hora
O artificio é um fel
E realidade é cruel

Estas apavorado de ver
A violência a crescer
Nesse mundo infernal
Onde só prevalece o mal

A verdade aflora
A ansiedade te devora
Já não tens mais lenitvo
E pra sonhar não tens motivo

Compreendeste afinal
O quanto é irreal
Esse mundo animal

Paraste de aventuras
E começaste a questionar
Quem sou eu?
O que foi que me aconteceu

O mundo continua girando
A natureza te despertando
Aqui não é teu lugar
É hora de despertar.

PÉROLAS SOLTAS DO ALÉM
Poetisa OP

2 comentários:

Cesar Carvalho (Kzar) disse...

Salve Odete, linda poesia, minha querida...depois vou ler as outras...beijão

Anônimo disse...

Salve Odete parabéns..